Osteoporose, uma marca da menopausa





As mães dizem: “É, depois dos 45 começa aparecer problema em todo lugar!”. E não é que ela pode ter razão até certo ponto? Uma das doenças marcantes deste período é a osteoporose.

A osteoporose é a doença famosa desta faixa etária, marcada pelo enfraquecimento dos ossos. A relação entre as dores ósseas e a menopausa é exatamente o hormônio feminino chamado estrogênio, que a partir deste períoso, a mulher produz em baixíssima quantidade. O estrogênio ajuda manter o equilíbrio entre a perda e o ganho de massa óssea e uma diminuição desta taxa acarreta no enfraquecimento dos ossos.


O que aumenta os riscos da doença?

História familiar positiva para osteoporose
Tabagismo
Alimentação deficiente de cálcio
Sedentarismo
Retirada dos ovários
Uso excessivo de antiácidos ou hidróxido de alumínio (comum em pacientes que têm muita azia)
Períodos longos de repouso durante uma doença.

Quais os sintomas?

Isso é uma parte curiosa. A paciente portadora de osteoporose pode não sentir nada e, de repente, apresentar uma fratura óssea. Os ossos da bacia, braços e punhos são os que mais quebram. A dor nas costas, a perda de força e a postura curvada são resultado do enfraquecimento também das vértebras.

Para diagnóstico da osteoporose, o principal exame é a Densitometria Óssea, existindo ainda outros exames que podem diagnosticar perda de massa óssea em relação ao adulto jovem. Porém, muitas vezes esse diagnóstico é feito por um Raio-X pedido rotineiramente, além de revisão da história clínica e exames de sangue.

Tem cura? De fato não existe cura para a osteoporose, o que se faz é uma tentativa de diminuir a perda óssea e recuperar alguns. A melhor forma é através da reposição hormonal com o estrogênio. Porém, há uma ressalva em relação a isso:

O estrogênio atua tanto contra osteoporose quanto na prevenção de doença do coração. Porém, mulheres com história familiar de câncer de mama ou história de AVE (derrame). Além disso, sem o acompanhamento da progesterona na reposição, o estrogênio isoladamente também aumenta o risco de câncer de útero.

A reposição de cálcio através de suplementos e alimentação também atua no tratamento, bem como os exercícios físicos.

Mas há como prevenir? Sim!

Faça exames periódicos de avaliação geral. Alguns especialistas recomendam que se inicie a pesquisa da osteoporose a partir dos 50 anos.
Ingestão adequada de cálcio, que pode ser adquirida em alimentos como derivados do leite, vegetal verde-escuro, amêndoas e peixes.
Reposição hormonal na menopausa
Exercícios físicos regulares
Evitar ingestão de álcool
Evitar cigarro

Portanto, já pode se preocupar com uam alimentação adequada e uma vida saudável bem cedo, para colher os frutos de uma velhice sem fraturas!
Osteoporose, uma marca da menopausa Osteoporose, uma marca da menopausa Editado por saude.chakalat.net on 04:54 Nota: 5

Nenhum comentário:

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!

Tecnologia do Blogger.