quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Cuidados com a suplementação de cálcio na Osteoporose


Uma medida que pode ser necessária para cuidar da osteoporose é adotar suplementação à base de cálcio, mas o tratamento só é indicado para mulheres em que já foi detectado o problema.

A medicação é uma medida para reforçar o tratamento, mesmo com ela os hábitos alimentares e de atividade física devem ser modificados".

Mas nem todas as mulheres podem tomar a medicação. Segundo o reumatologista, quem tem aterosclerose (doença crônica que se caracteriza pela formação de tecido fibroso dentro dos vasos sanguíneos, causando obstrução) deve evitar o medicamento, fazer o tratamento somente por meio da alimentação e evitando os fatores de risco. Há pesquisas que indicam que, embora não se conheçam os motivos, o uso do medicamento por pessoas com a doença aumenta o risco de infarto. "Desconfia-se de que os excessos de cálcio acabem contribuindo para obstruir ainda mais os vasos, mas não há nada comprovado", explica Domiciano.

As pacientes com histórico familiar de pedras nos rins também têm restrições quanto à medicação, pois o uso contínuo de cálcio pode acabar desenvolvendo o problema. O ideal é consumir doses baixas do remédio e completar nas refeições. Os alimentos ricos em cálcio são absorvidos lentamente, por isso não sobrecarregam o corpo com a substância. Já os suplementos fornecem maior quantidade do componente e geram picos no sangue, o que pode acarretar problemas à saúde, como aumentar o risco de infarto..

Alimentos ricos em cálcio

Apesar de não ser o único tratamento, os alimentos são ótimos auxiliares no combate à osteoporose e tratamento da doença. O leite, riquíssimo em cálcio, é tido como o principal agente do combate aos desgastes ósseos, mas existe uma ressalva. "Não importa qual o tipo de leite, seja de vaca, de cabra, de búfala, desde que a origem seja mamífera. Esses sim são ricos em cálcio, pois contém porções da substância que estavam no animal. Já os leites de soja que não têm reforço de cálcio adicionado industrialmente não conseguem auxiliar na prevenção da doença, pois não contêm a substância, explica Marcelo Pinheiro.

Hoje em dia é possível encontrar leite de soja e alguns iogurtes fortificados com cálcio que conseguem auxiliar tanto quanto o leite de mamíferos. Mas se você não é muito fã da bebida, alguns outros alimentos também contém o mineral e podem ajudar a prevenir a osteoporose.

Separamos uma tabela, baseada nos dados da Taco (Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, da Unicamp), com dez alimentos ricos em cálcio:

ALIMENTOCÁLCIO (mg)
Brócolis (100g)513
Feijão branco (100g)476
Couve-manteiga (100g)177
Iogurte (1 pote)279
Leite desnatado( 250ml)268
Sardinha (100 g)482
Castanha-do-Pará (100g)146
Queijo minas (100g)579
Queijo prato (100g)345
Espinafre (1 xícara)136

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Prevenção da osteoporose deve começar na juventude



É comum associar a osteoporose à velhice, já que a doença, caracterizada pela perda de massa óssea e deterioração esquelética, é mais comum na faixa etária acima dos 50 anos – uma em cada três mulheres nesse grupo sofre da doença; entre os homens, a proporção é de um em cada cinco. Mas isso não quer dizer que pessoas com menos idade estão livres da doença.  A melhor maneira de evitar futuros problemas é começar a se prevenir ainda na adolescência, quando o esqueleto está se estabelecendo e construindo massa óssea. O equilíbrio desse processo é atingido aos 20 anos. Depois, a estrutura começa a enfraquecer e, a partir dos 40 anos, inicia-se a faixa de risco de osteoporose.

Para prevenir a doença, basta consumir alimentos com cálcio e vitamina D. A última auxilia na absorção do primeiro, que atua diretamente no fortalecimento e manutenção dos ossos. Apesar de ser uma recomendação simples, nem sempre ela é seguida corretamente. Cerca de 60% das mulheres acham que tomar apenas um copo de leite por dia é suficiente para se manterem livres da osteoporose. Enganam-se.

Essa quantidade está bem abaixo do valor recomendado pelo OMS (Organização Mundial da Saúde). O ideal é consumir  de 800 a 1200 mg de cálcio, o que representa quatro porções de leite (em cada copo de 250 ml há 268 mg do mineral). Apenas 20% das mulheres com 45 anos consomem essa quantidade. Entre aquelas com menos de 45 anos, essa porcentagem não passa de 10%.

Apesar de não ser o único tratamento, os alimentos são ótimos auxiliares no combate à osteoporose e tratamento da doença. O leite, riquíssimo em cálcio, é tido como o principal agente do combate aos desgastes ósseos, mas existe uma ressalva. "Não importa qual o tipo de leite, seja de vaca, de cabra, de búfala, desde que a origem seja mamífera. Esses sim são ricos em cálcio, pois contém porções da substância que estavam no animal.

eparamos uma tabela, baseada nos dados da Taco (Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, da Unicamp), com dez alimentos ricos em cálcio:
ALIMENTOCÁLCIO (mg)
Brócolis (100g)513
Feijão branco (100g)476
Couve-manteiga (100g)177
Iogurte (1 pote)279
Leite desnatado( 250ml)268
Sardinha (100 g)482
Castanha-do-Pará (100g)146
Queijo minas (100g)579
Queijo prato (100g)345
Espinafre (1 xícara)136



segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Demora no diagnóstico da Osteoporose prejudica tratamento

http://www.dermomanipulacoes.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/05/745493_INCuidedaOsteoporoseantesdaterceiraidadejpg.jpg

O problema é que a osteoporose demora para ser notada, já que é uma doença silenciosa, que não causa dor.  Você sabia que 98% das pessoas esperam sinais de dor para buscar ajuda profissional? Como ela não se manifesta, poucos acabam descobrindo antes que ocorra a primeira fratura. O problema de não conhecer rapidamente a existência da doença é que o tratamento demora para ser iniciado, o que influencia diretamente nos resultados.
Segundo dados da IOF (Fundação Internacional de Osteoporose, em tradução livre), 80% dos pacientes fraturados não recebem avaliação e tratamento. Nesses casos, as chances de uma pessoa que já sofreu fratura osteoporótica se machucar novamente são duas vezes maiores.

No Brasil, apenas 39% das mulheres com 45 anos ou mais já passaram por densitometria óssea. Dessas, 37% fizeram o exame somente uma vez, quando na verdade a checagem deveria ser feita anualmente, assim como os exames ginecológicos, principalmente entre mulheres dessa faixa etária. Apesar de a doença atingir também homens e jovens, a maior incidência é em mulheres com 45 anos ou mais, pois começam a entrar na menopausa, período em que a produção de estrogênio, responsável pelo crescimento de todos os ossos, acaba diminuindo.

Falta uma campanha de conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce, e também orientação por parte dos médicos. Cerca de 40% das mulheres que passaram por densitometria óssea foram diagnosticadas com a doença, começaram a se tratar e notaram melhora na sua qualidade de vida.

Só quando a doença é identificada surge a preocupação com alguns cuidados. Apesar de uma dieta rica em cálcio e vitamina D auxiliar bastante na prevenção e tratamento, não é suficiente. O tabagismo, o consumo de bebidas alcoólicas e o sedentarismo são fatores de risco e enfraquecem os ossos. Para amenizar os sintomas, eles devem ser evitados. Só não conseguimos evitar a osteoporose em casos genéticos, quando é irreversível, mas podemos amenizar os sintomas com balanceamento da dieta e adotando hábitos saudáveis.


terça-feira, 11 de novembro de 2014

Quem já teve fratura por osteoporose geralmente tem outras

https://lh3.googleusercontent.com/-zaT7TmtZn6o/UDVJJu-LVkI/AAAAAAAACY0/Aq89QWmSANk/s448/osteoporose-sintomas.jpg

Com a idade, o corpo passa a ficar cada dia mais delicado. A osteoporose, doença que diminui a densidade dos ossos, tornando-os mais propensos a fraturas, é uma das condições que podem surgir com o avanço da idade. Lidar com o problema é complicado e exige atenção redobrada, uma vez que o principal objetivo é evitar que as fraturas aconteçam.

Sim, já existem estatísticas que provam que quem já teve uma fratura por osteoporose fatalmente terá outras. Quando o paciente se fratura, significa declínio da qualidade de vida. Se um osteoporótico cai, a fratura pode levar a comorbidades maiores, como ficar de cama

O que deve ser feito é deixar o osso mais forte. A melhor forma de fazer isso é cuidar dele desde criança. Criar um osso considerado bom desde a infância ajuda a preservá-lo na velhice. Um osso adequado tem densidade e qualidade, formado por 90% de colágeno e 10% de outras proteínas. A relação entre esses componentes e os minerais ósseos define um osso saudável: constantemente, durante toda a vida do indivíduo, acontece a remodelação óssea, processo em que o osso muda de tamanho e de forma durante o crescimento. Esse processo de remodelação acontece sequencialmente e começa pela reabsorção, seguida da formação de um novo osso.

Na osteoporose, há um desequilíbrio, uma vez que o organismo reabsorve mais do que forma um novo osso.

Os hábitos de vida também são importantes nesse processo. Esse 'fortalecimento ósseo' se dá com uma alimentação adequada e atividades físicas. Tabagismo e outros habitos que ajudam a enfraquecer esse processo não são bem-vindos.


terça-feira, 28 de outubro de 2014

Fraturas por causa de osteoporose vão crescer 32% até 2050, aponta pesquisa

http://kilorias.band.uol.com.br/wp-content/uploads/2014/03/osteoporose-mulher-wh.jpg

Uma doença crônica e comum que enfraquece os ossos, a osteoporose, atinge três milhões de pessoas no Brasil. A incidência entre as mulheres é maior, chegando a atingir uma em cada três mulheres com mais de 50 anos devido à idade próxima da menopausa.

A International Osteoporosis Foundation  aponta ainda, através de estudos, que o número de fraturas no quadril em decorrência da doença deve crescer 32% até 2050 no Brasil.

Nesta pesquisa se apurou que o crescimento está relacionado ao envelhecimento da população. No país, o número de pessoas com mais de 70 anos aumentará 380% até 2050 e representará 14% da população brasileira.

Diante deste quadro alarmante, o Centro de Referência Estadual de Atenção à Saúde do Idoso (Creasi), órgão vinculado à Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), localizado na Avenida. Antônio Carlos Magalhães, s/n - Iguatemi,  alerta a população para fazer testes de verificação da doença, prevenção e controlá-la através de medicamentos, exercícios e de dieta.

De acordo com a titular da Coordenação Estratégica do Creasi, Renata Muniz Caires, o centro tem investido na propagação de folders que alertam a população para a doença e indicam como realizar o exame para confirmação. "Para realizar o exame de Densitometria Óssea não precisa ser nosso paciente", destacou.

A coordenadora ressaltou que o órgão distribui uma gama de remédios para pacientes portadores de osteoporose e que todas as pessoas têm acesso a esta medicação, mesmo quem não faz tratamento no Creasi.

Segundo ela, para a realização do exame, extensivo a pacientes e não pacientes, é necessário apresentação do original e cópia do RG, do CPF, do comprovante de residência com CEP, Cartão SUS e Laudo para Solicitação/Autorização de Procedimento Ambulatorial devidamente preenchido, carimbado e assinado pelo médico solicitante (contendo o número do cartão SUS do médico solicitante e do usuário), com data inferior a 90 dias.

Doença: crônica muito comum, principalmente em mulheres após a menopausa, onde há enfraquecimento dos ossos, aumentando o risco de fraturas, especialmente de fêmur (quadril), coluna vertebral (dorsal) e punho.

A osteoporose é considerada uma doença osteometabólica. Há uma diminuição absoluta da quantidade de osso e alteração na sua microarquitetura, levando a um estágio de fragilidade em que podem ocorrer fraturas mesmo após traumas mínimos. O osso é um tecido vivo e necessita de cuidados em todas as fases da vida.

Fatores de risco: sexo feminino; pessoas brancas e magras; idade avançada; menopausa; sedentarismo; história familiar de osteoporose;dieta pobre em cálcio e vitamina D; tabagismo (fumo).

Diagnóstico: a osteoporose é diagnosticada através da Densitometria Óssea (exame de imagem capaz de avaliar a condição da massa óssea). O histórico do paciente e análise dos seus exames clínicos podem contribuir para o diagnóstico.

Como tratar: prática de atividades físicas; Exposição ao sol (até às

10h e a partir das 16h); Dieta balanceada, rica em cálcio e vitamina D; Medicamentos, com o apoio de fisioterapia.

Como prevenir:através de hábitos saudáveis, iniciados na infância, é possível prevenir a osteoporose.Pratique exercícios físicos, tenha uma alimentação rica em cálcio e vitamina D e adote um estilo de vida mais saudável.

A  atividade física regular (com orientação de profissionais qualificados) melhora a qualidade de vida, fortalece os músculos, aumenta  a massa óssea. auxilia a recuperar o equilíbrio e ajuda a atingir o peso ideal.

Fazer uso de alimentos ricos em cálcio: alimentos de cor verde escura (Brócolis, couve, agrião, espinafre, etc);leite e seus derivados  (iogurte, queijo, etc);Peixes (sardinha, atum, salmão, etc); Grãos (soja, feijão, etc); Castanha e amêndoa.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

O foco do Dia Mundial da Osteoporose será a osteoporose em homens


Celebrado anualmente no dia 20 de Outubro, o Dia Mundial da Osteoporose (DMO) é uma campanha que dura o ano todo, dedicada a aumentar a conscientização global sobre prevenção, diagnóstico e tratamento da osteoporose e da doença osteometabólica. A campanha global vem sendo organizada pela International Osteoporosis Foundation (IOF) desde 1997, e a cada ano enfoca um tema específico.

O DMO é uma data chave na agenda da comunidade ligada a ossos, músculos e articulações. É uma ocasião em que as pessoas do mundo todo se unem para colocar a luz dos holofotes sobre a imensa carga causada pela osteoporose e as ações que podem ser tomadas para prevenir e tratar a doença.

Em 2014, o foco do Dia Mundial da Osteoporose (DMO) será a osteoporose em homens. Muitas vezes, a osteoporose é considerada como uma 'doença de mulher', ainda que um em cada cinco homens com idade acima de 50 anos terá uma fratura devido à osteoporose. Como resultado deste conceito errôneo, milhões de homens, em todo mundo e no Brasil, continuarão desconhecendo seu risco para fraturas devido a esta doença.

Com o envelhecimento da população, um número crescente de homens mais velhos sofrerá fraturas. Acredita-se que até 2060, o número de pessoas com fraturas devido à osteoporose irá aumentar cinco vezes só no Brasil. O objetivo da International Osteoporosis Foundation (IOF) é aumentar a conscientização do público, dos profissionais de saúde e das autoridades sanitárias sobre o problema.

A campanha deste ano está direcionada diretamente aos homens e gira em torno da ideia de"Fortes Externamente, Mais Fortes Internamente", convocando os homens para que deem tanta atenção aos seus ossos e à sua saúde como dão à sua força física. Trabalha com os estereótipos do que os homens percebem como importantes e faz com que questionem se eles realmente são tão fortes internamente quanto o são externamente. A campanha usa a ironia para levar a mensagem do slogan "Homens Reais Constroem sua Força de Dentro para Fora".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...